Federação da Rússia é o país de coexistência pacífica de várias confissões religiosas, sendo nenhuma delas a confissão preferida pelo Governo. Contudo a maioria dos fiéis são cristãos ortodoxos. Obviamente, ortodoxia associa-se primeiramente com os russos, contudo a maioria dos carelos, udmurtos, mari, mordva, chuvacos, osetinos, ciganos e muitas outras nacionalidades também professam ortodoxia.

Nos tempos soviéticos, especialmente os do Stalin a ortodoxia sofria perseguição, igrejas e mosteiros foram destruídos. O exemplo mais conhecido é o do Templo do Cristo Salvador que nos anos 1990 foi completamente reconstruído no lugar do templo antigo. No fim do século XX a ortodoxia russa caiu no decaimento, contudo a última década mostrou a tendência da ortodoxia para sobreviver e renascer nas novas gerações russas.

O dogma principal da ortodoxia, que é a Trindade, consiste no fato que o Espírito Santo desce do Pai só e não do Pai e do Filho, no que crêem os outros cristãos. Pode-se compreender a essência Divina por meio da alma e não mentalmente.

No sentido próprio e figurado, ortodoxia é uma grande família. Sacerdotes ortodoxos podem casar-se e ter filhos, enquanto divórcios são condenados pela igreja. A morte de um dos conjugues não liberta o outro das suas obrigações. Dizem que "matrimónios se registram nos céus".

Alem dos ortodoxos e discípulos das seitas, derivantes da ortodoxia vivem na Rússia seguidores de outros rumos cristãos. São significativamente menores em número em comparação com ortodoxos os católicos, subdivididos nos de cerimonial latino e nos de cerimonial grego (chamados católicos gregos). Pertence aos católicos de cerimonial latino a maioria dos polacos e lituanos que moram na Rússia, certo número de alemães, a maioria de latgalos (grupo sub-étnico de latos) alguns dos fiéis bielorussos.

O país tem protestantes de vários rumos: luteranismo, calvinismo, mennonitismo, batismo, pentecostismo, adventismo.

Segundo em número de discípulos na Federação da Rússia é Islão (cerca de 13 milhões de fiéis).

Islão é representado na Rússia por seus dois ramos principais – sunita e xiita, sendo primeiro o ramo predominante. Ambos os ramos adoram Alá, profetas, anjos e escritura sagrada Alcorão, dia do juízo universal e predestinação, todavia sunitas reconhecem todos os profetas, enquanto xiitas só descendentes diretos do Maomé desde Ali. Xiitas são mais severos principalmente no que se refere aos dogmas da fé. Assim um xiita pode quebrar talheres, caso forem usados pelos incrédulos (não muçulmanos).

Faz muito, que Islão veio na Rússia. Nos anos 30-40 do século VII o Império Sasanido (Irão) caiu sob a invasão dos árabes, os quais após conquistarem todo o Irão e Transcáucaso e através da Albânia Cáucasa alcançaram Derbent. No ano 643 durante o governo do Khalif Umora Íntegro o Segundo o cabo de guerra árabe encontrou-se com o governador pérsico do Derbent Shakhribiraz, quem visitou o acampamento dos árabes para se reconhecer como um vassalo do Kalifate. Segundo o acordo atingido, ao Derbent não foi imposto tributo. Em vez disso Derbent era encarregado de protecção das terras do Norte do Kalifate arábico contra os vizinhos do Norte khazaros. Islão do rumo sunita foi aceitado como religião oficial na Bulgaria do Volga no ano 922. É a religião predominante entre a maioria de tártaros e bashkiros. Na cidade de Kazan conseguiram preservar monumento islámico – Staro-Tatarskaya Sloboda (subúrbio tártaro antigo) para onde deportavam muçulmanos após a Kazan for conquistada pelas tropas Russas no século XVI.

Cerca de 900 mil de pessoas das regiões orientais da Rússia são discípulos do Budismo (buryatos orientais, buryatus khongodoros, a maioria de tuvínos, kalmícos e a parte relativamente grande dos evenkos).

Buryatia com cerca de trinta igrejas budistas (datsan) se tornou centro do Budismo da Rússia. Um dos monumentos arquitetónicos principais da Buryatia é o lamasério (mosteiro lamaistico – ou datsan) na cidade de Gusinoozersk. De acordo com o Decreto da Imperatriz Elisabete Budismo foi reconhecido como religião oficial dos sujeitos russos.

A parte dominante dos judeus crentes da Rússia são discípulos do Judaísmo. É difícil de estabelecer o número exato dos judeus devido aos casamentos mistos. Segundo dados das organizações hebreus, no início de 1990 judeus contavam com cerca de 600 mil pessoas, fato o qual é duvidoso, pois a maioria dos judeus na Rússia não acredita (todavia nos últimos tempos observa-se elevação do nível de religiosidade). O número predominante dos judeus russos vive nas cidades grandes.

Alem disso vivem na Rússia discípulos das convições tradicionais, tais como shamanismo cultismo de tribos e de ofício e outros, sendo estas últimas adoradas entre as nações pequenas do Norte da Rússia (esquimó, chukchee, koryaki, evenki, assim como entre as nações de Altai, nentsi, dolgani). Também pode-se encontrar discípulos das convições tradicionais entre evenki e khonti, assim como entre algumas povoações da região do rio Volga (primeiramente mari, chuvacos, udmurtos). Chamam-se discípulos das convições tradicionais da nação mari "chi-mari", o que significa "mari autêntico".