As relações foram estabelecidas em 1828, quando o Brasil se tornou o primeiro país da América do Sul com o qual a Rússia formalizou relações diplomáticas. O aniversário de 185 das relações diplomáticas foi comemorado em 2013.

Nos últimos anos, o relacionamento entre os dos países tem sido estreitado de maneira significativa por meio da realização de visitas de altas autoridades, do diálogo no âmbito multilateral (ONU, G-20, BRICS), do aumento do intercâmbio comercial e dos fluxos de investimentos e do aprofundamento da cooperação, especialmente em matéria aeroespacial e técnico-militar. Brasil e Rússia são "Parceiros Estratégicos e de Aliança Tecnológica".

Os dois países estão engajados na meta de atingir US$ 10 bilhões em trocas comerciais. A quantidade de empresas brasileiras instaladas na Rússia tem crescido significativamente. A cooperação em matéria sanitária e fitossanitária tem avançado, beneficiando o comércio de carnes – a Rússia é um dos maiores importadores de carnes bovina e suína produzidas no Brasil.

Brasil e Rússia têm posições convergentes sobre muitos temas da agenda internacional, compartilhando a convicção de que é necessário reformar as estruturas de governança global, com vistas à construção de uma arquitetura institucional mais condizente com o mundo contemporâneo.

A consolidação do agrupamento BRICS é um dos eixos das relações entre Brasil e Rússia. Inicialmente visto como conceito meramente econômico, o BRICS se apresenta hoje como plataforma de coordenação política para a proposição de soluções para os desafios internacionais. Ambos os países estão empenhados em avançar dois projetos de cooperação do BRICS – o Novo Banco de Desenvolvimento e o Arranjo Contingencial de Reservas.

A cooperação cultural é um importante aspecto do relacionamento bilateral. A Rússia tem contribuído para a formação de bailarinos brasileiros, no âmbito da parceria criada quando da abertura de filial da Escola do Balé Bolshoi na cidade de Joinville (2001). A perspectiva de ampliação da rede de leitorados dos idiomas português e russo nas principais universidades russas e brasileiras atesta o crescente interesse recíproco dos estudantes.

Está em vigor desde 2010 um acordo bilateral para a isenção de vistos de curta duração, que tem contribuído para o aumento do fluxo de turistas entre os dois países.